Juíza vê incoerência e adia reestruturação que prejudica empregados | Portal
07/06/19 11:03

Juíza vê incoerência e adia reestruturação que prejudica empregados

justica.jpg

Na quinta-feira, 6 de junho, a juíza Patrícia Birchal Becattini, da 4ª Vara do Trabalho de Brasília, concedeu a liminar à Ação Civil Pública (ACP), movida pela Fenae e Contraf-CUT, que adia por dez dias úteis o processo de reestruturação dos trabalhadores da Matriz e filiais para as agências.

Na sentença, juíza destacou que “realmente há incoerência no comunicado que permite a seleção de empregados até o dia 31/5/2019 às 12 horas e já contando o prazo de realocação no portal a partir do dia 30/5 (item 4, fl 26), ou seja, antes da seleção de todos. Não há razoabilidade em um prazo tão curto de 4 (quatro) dias úteis para que o empregado reorganize sua vida ao novo local de trabalho”.

A fim de dar continuidade a luta em defesa da categoria bancária, a Fenae e Contraf-CUT entraram com um pedido de mediação ao Ministério Público do Trabalho (MPT) para a interrupção da realocação dos trabalhadores, enquanto a direção da Caixa não dialogar com as entidades representativas dos empregados.

Compartilhe