Comando Nacional x Fenaban: saúde e condições de trabalho marcam reunião | Portal
11/04/19 12:30

Comando Nacional x Fenaban: saúde e condições de trabalho marcam reunião

 

comando 2.jpg

Durante reunião realizada nesta semana, em São Paulo (SP), o Comando Nacional dos Bancários apresentou à Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) dados que revelam um aumento de afastamentos dos bancários causados por doenças psíquicas e transtornos mentais geradas no ambiente de trabalho. Essa dura realidade prejudica não só o rendimento profissional da categoria, como principalmente a saúde e a qualidade de vida dos trabalhadores. O próximo encontro, agendado para 22 de maio, irá discutir efetivamente as possibilidades de prevenção por doenças ocupacionais.

A maioria dos funcionários afetados são da área gerencial, onde a cobrança por metas é cada vez mais excessiva sob ameaça de demissões e competitividade entre bancários por resultados oriunda de falso discurso meritocrático. No encontro, os bancos alegaram que “têm interesse em ampliar a discussão sobre as condições de trabalho, mas para que isso se torne uma realidade, é importante o reconhecimento da origem do problema”, mesmo após a apresentação estatística dos dados da infeliz realidade dos trabalhadores.

No entanto, o Comando Nacional persistiu na luta pelas reivindicações da categoria e insistiu para que sejam ampliados no setor bancário o debate e adoção de políticas que deem fim às metas abusivas e consequentemente invistam em melhorias na saúde dos empregados. As pesquisas apontaram ainda que os bancários associam o trabalho ao estresse, pressão psicológica e medo por exposição pública.

“Apesar da visão unilateralmente lucrativa dos banqueiros, precisamos fazê-los entender que a saúde dos trabalhadores está em primeiro lugar. Uma coisa leva a outra. Se algo vai mal, tudo vai mal. Sem saúde, não há rendimento, tampouco resultados positivos”, pontua Paulo Matileti, Presidente da APCEF/RJ e Vice-presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro.

Outro ponto discutido na reunião está relacionado com a insegurança do trabalhador no tratamento que lhe é dado pelo banco no retorno à empresa pós período de afastamento: ao voltar às atividades, muitos funcionários são transferidos de agência ou ficam sem uma lotação certa. Em parte dos casos, o descaso é tamanho que ocasiona em demissão.

 

Compartilhe