Cabo de guerra: abono da Quarta-feira de Cinzas ainda não saiu | Portal
11/03/19 13:05

Cabo de guerra: abono da Quarta-feira de Cinzas ainda não saiu

 

Cabo de guerra abono da Quarta-feira de Cinzas ainda nao saiu.jpg

Na sexta-feira, 8 de março, o Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro se reuniu com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) a fim de encontrar soluções ao transtorno causado aos bancários, que tiveram o feriado integral da Quarta-feira de Cinzas suspenso, devido a liminar concedida pela ministra do STF Rosa Weber, que atendeu a solicitação da Consif (Confederação Nacional do Sistema Financeiro). A negociação foi marcada por indefinições e deve ser reagendada nesta semana.

Durante a reunião, para encontrar soluções aos bancários que não puderam comparecer nas agências e contra o desconto de seus salários, os representantes dos trabalhadores defenderam que haja uma negociação coletiva da categoria bancária no estado do Rio de Janeiro. Os banqueiros, por sua vez, pretendem impor uma negociação individualizada, que prejudica e põe em risco os direitos dos trabalhadores. Devido a falta de acordo entre as partes, a data para uma nova reunião deve ser definida nesta semana.

“Além da suspensão repentina, os bancos impuseram aos seus funcionários o comparecimento nas agências mesmo que muitas delas estivessem com o quadro de vigilantes desfalcado, pondo em risco a integridade física e segurança não só dos bancários, mas também dos clientes. É um completo desserviço com a população”, afirma Paulo Matileti, Presidente da APCEF/RJ e Vice-presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro.

 

Compartilhe