APCEF/RJ apoia nota da Fenae que repudia declarações caluniosas do governo Bolsonaro | Portal
09/01/19 13:01

APCEF/RJ apoia nota da Fenae que repudia declarações caluniosas do governo Bolsonaro

APCEF RJ apoia nota da Fenae e repudia declaracoes de Jair Bolsonaro e ministro da Economia Paulo Guedes.jpg

A APCEF/RJ declara pleno apoio à nota emitida pela Fenae em repúdio as declarações do presidente Jair Bolsonaro, e do ministro da Economia, Paulo Guedes, durante a posse dos presidentes da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e do BNDES, realizada na segunda-feira (7).

Em seu discurso, Guedes afirmou que a Caixa “foi vítima de saques, fraudes e assaltos aos recursos públicos, como vai ficar óbvio daqui para a frente, a medida que, como diz o presidente da República, essas caixas pretas forem examinadas”. Enquanto Bolsonaro disse que “o evento está bem concorrido porque são homens do dinheiro que estão aqui. Só que, dessa vez, o dinheiro será do bem”.

Tais declarações deixam em voga a atuação do banco e, consequentemente, do seu quadro de pessoal de empregados. Ao que parece, Bolsonaro e seus aliados têm o intuito de denegrir a imagem pública da Caixa, com a finalidade de induzir a população a crer que a desestatização é o único caminho viável para a reestruturação econômica do País, e assim, garantir apoio para o desmonte da CEF 100% pública.

“Mesmo após árdua oposição ao governo Temer, a Caixa se encontra novamente em estado de ameaça, uma vez que a pasta econômica de Jair Bolsonaro é composta pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo atual presidente da CEF, Pedro Guimarães, que são favoráveis ao fatiamento do banco público para a iniciativa privada. Os movimentos sindicais e associativos terão que encarar uma dura batalha pela frente em defesa da Caixa 100% pública e da garantia de direitos dos trabalhadores”, apontou Paulo Matileti, Presidente da APCEF/RJ.

Acesse aqui e confira na íntegra a nota de repúdio da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal.

Compartilhe